quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Mapa conceitual da historia do desenvolvimento da eletricidade

Clique aqui para acessar o mapa conceitual sobre a historia da eletricidade.

domingo, 17 de abril de 2016

Química Forense

Clique aqui para acessar o artigo do Blog PIBID sobre Química Forense, locais de crime e vestigios.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

LADIQ: Participação na Feira de Ciências do Colégio Dr. M...

LADIQ: Participação na Feira de Ciências do Colégio Dr. M...: Hoje o LADIQ participou da Feira de Ciências e Matemática do Colégio Dr. Milton Santos.  Ficamos muito contentes em poder mostrar um po...

Pibid e o Ensino de Química: Fenol e fenóis, suas utilizações! (Parte II)

Pibid e o Ensino de Química: Fenol e fenóis, suas utilizações! (Parte II): Bolsista: Líria Amanda Olá Pessoal! Na matéria passada, sobre “Fenol e fenóis, suas utilizações, parte I”, falamos do fenol no trata...

domingo, 25 de outubro de 2015

Falando de Ciência: O uso indiscriminado de antibióticos e a resistênc...

Falando de Ciência: O uso indiscriminado de antibióticos e a resistênc...: Hoje vi uma imagem compartilhada no Facebook que me preocupou muito. Uma manicure ensinava a adicionar amoxicilina ao esmalte, com a intenç...

domingo, 20 de setembro de 2015

O que é um mol?

A um grama de qualquer substância são associados números grandes de entidades elementares (átomos, elétrons, moléculas, íons), pois cada entidade elementar tem massa diferente.
Ao Químico interessa o padrão, como a quantidade fixa de partículas de uma certa substância, e assim criou-se o Mol.
A palavra MOL foi sugerida pelo químico e filósofo alemão Wilhelm Ostwald em 1900, mas nessa época ele associava o termo com a ideia de 'peso molecular de uma substância expresso em gramas'. Tal idéia prevaleceu por certo tempo até que em 1971 a IUPAC (União Internacional de Química pura e aplicada) conceituou-o como "A quantidade de matéria de um sistema que possui tantas entidades elementares quantos são os átomos contidos em 0,012 kg de carbono-12".
A massa (m) é diretamente proporcional a sua quantidade de matéria (n). A constante de proporcionalidade que permite transformar  quantidade de matéria em massa chama-se 'massa molar' (M), que é a massa de substância por unidade de quantidade de matéria. Então: m = M.n.
Qualquer amostra de uma substância contém um numero elevado de entidades elementares da qual a substância é feita. A essa amostra está associada uma determinada quantidade de matéria. Existe uma proporcionalidade entre o numero de entidades elementares e sua quantidade de matéria. A constante de proporcionalidade que permite transformar quantidade de matéria em numero de entidades chama-se constante de Avogadro (Na). Daí que: N = Na . n --> N = 6,02214 x 10²³ mol-¹.
Massa atômica: é a representação da massa de um átomo de elemento químico (ma). Atualmente ela é medida por atribuição de um valor (12,001 u) a um dos isótopos do carbono, sendo a unidade (u) sendo a massa de 1/12 do átomo de carbono. Vale destacar que os valores de massa atômica encontrados nas tabelas periódica são o resultado das médias ponderadas dos vários isótopos dos elementos químicos encontrados na natureza.
Massa molecular: é a massa da entidade elementar da qual a substância é feita - molécula ou fórmula unitária - e corresponde a soma das massas atômicas das massas atômicas dos átomos que a compõe. Exemplo: m (NH3) = ma(N) + 3 ma (H) = 17 u.